23 maio 2006

Tempo...


Obedeceste ao tempo… um tempo… que corre… não pára… não espera… Envelheceste… aceitaste cada forma… cada traço… desenhado num corpo… que não reconheces… mas que transportas… denunciando a passagem… denunciando o próprio tempo… as historias… as mágoas… e as alegrias… os fracassos… e os sucessos… toda a experiência... ainda activa… com a pouca força que te resta… Serenamente acomodado… na cadeira que baloiça… que te oferece movimento… suportada pelo chão que pisas… hoje… com passos mais curtos… mais pausados… do que aqueles… que relatas… nas tuas historias… nos teus contos… já com a voz cansada… com um olhar profundo… sobre a planície… agora contemplada… com tempo… o tempo que faltou no passado… o tempo… que parece sobrar no presente… uma lembrança do próprio tempo… um tempo… que corre… não pára… não espera… envelhece…

63 comentários:

sofyatzi disse...

E é assim o tempo: não pára, não pode parar e temos que aceitar. O melhor que podemos fazer do tempo, é utilizar o tempo que temos, para que mais tarde possamos olhar para trás e vermos que o que fizemos do nosso tempo valeu a pena.

Sílvia Dias disse...

Oh amor... devo dizer-te que quando leio o que escreves dou por muito bem aproveitado o tempo que passas no computador! Eu leio e consigo encaixar perfeitamente na pessoa que tu referes. Continua... mas vais ter de me compensar!

Maite disse...

Olá

Um blog surpreendente... :) gostei bastante


Bom dia para si

Anónimo disse...

"...Envelheceste… aceitaste cada forma… cada traço…" é importante aceitarmo-nos tal como somos a medida que envelhecemos e ver em cada traço a alegria,a experiencia,a sabedoria ... que conquistamos.
Gostei como sempre :)
Beijo

Paula Raposo disse...

Verdade! Verdade! Beijos.

Em busca de Felicidade disse...

Como eu gostava de tb obedecer ao tempo... Gostaca nomeadamente daqui a uns anitos, ter uma destas fotos....

Parabêns pelo blog, muito interessante mesmo.

Salvador disse...

Senti um aperto no coração,
Bom , muito bom.

1 abraço

sa.ra disse...

sobre o tempo... também aqui!

deixo uma citação do meu querido amigo Jorgesteves (http://contextualidades.blogspot.com), no seu post de hoje... que é uma coroa de palavras sábias e inspiradoras!


“Eu sou uma sombra. E sombra também és tu. Eu tomo conta do tempo. E tu?”

tomamos todos, acho!
beijinho!
(vou ficar mais um bocado a ouvir a música)
dia muito feliz... com Tempo... sem Tempo!

Luis de Matos disse...

"o tempo que faltou no passado… o tempo… que parece sobrar no presente…"
Mais um excelente tema e texto, muitos parabéns.
O tempo...quem me dera poder transformá-lo á minha maneira...
um abraço

Sofia disse...

Bonitas palavras, se nao te importas vou dedica-las a um tio meu, internado ontem no hospital, já com 81 anos, uma saude frágil, mas uma historia assim, cheia e rica em contos e rugas.

Philip disse...

Ola meus amigos agradeço a participação ao ultimo post...e digo o Brasil esta uma vergonha..a cada dia da desgosto de ser brasileiro....muito obrigado mesmo....
Agora estou falando sobre as duas megas grandes estreis e gostaria de saber de sua opiniao...se vc leu assistiu e o que achou para descutimos no proximo post...ok?abraços e beijos....

Filipa disse...

O tempo passou por mim sentada numa esquina de vida. Procurei olhar-te mas os teus olhos buscavam o que não conheçia e não te pude prender num lugar seguro.
Agora o tempo é teu rival! A tua gaiola de ouro esta suspença sobre o teu destino.
Prendes as palavras em ti e sufocas o cheiro do meu corpo a tocar no teu...sei que queres voltar...mas agora que o tempo dobrou a esquina onde me sento todos os dias aguardando por ti, agora que senti ele tocar no meu rosto, agora amor sei que jamais serei livre se continuar como tu...suspença! Onde aguardas serenamente pelo tempo que faltou no nosso passado.
Deixo aqui este texto para vocês escrito By me :P

Mi disse...

Tempo... o senhor dos nossos dias.

Belas palavras

Joaquim Amândio Santos disse...

vencemos a lei d tempo quando o saboreámos, rejeitando sua ambição em ostentar as grilhetas do tormento que nos assola quando vemos a vida a fugir...

Tixa disse...

Gostei tanto de te ler!!! Como é possivel que alguém que não conhecemos descreve tão bem sensações que vivemos?
Vou voltar.
Se calhar o meu blog não é tão interessante como o teu, mas podes sempre fazer-me uma visitinha.
Bjs

Sofia disse...

:) ***

Isabel Magalhães disse...

um murmúrio que passa...!





[] :)

Sandra disse...

Muito giro...também gosto de ler os teus textos!
São interessantes!
Obrigada por mais uma participação no meu blog!!!

Bjins

Anónimo disse...

Um tempo que corre... não pára...que nos talha de uma forma madura e nos oferece a serenidade do amor... Um tempo que incolhe e incurta na hora do adeus...
Um beijo
Continua a escrever nesse tempo, num tempo mágico e bom... regula o relógio e torna eterno o teu saber!

Musician disse...

Por isso e por muito mais eu adoro as pessoas velhinhas :)
Sao os verdadeiros amigos do mundo!
Um beijinho*

Desambientado disse...

Olá Helder.

Vim agradecer-te o simpático comentário que deixaste no meu blog.

Parabéns pelo magnífico blog que aqui tens e que infelizmente só agora tomei conhecimento.

Tenho andado com dificuldades de aceder à net, mas quando reparar o computador, serei leitor assíduo.

Cumprimentos.

Soledad disse...

Gracias por tu visita, tienes un muy bonito blog...
He leido tus post, me han gustado mas alla de que mucho no entiendo jajajaj pero lo descifre bastante bien.
Seguire viniendo si tu quieres obvio.-
Beshotes muchos para ti!!!!

missixty2000 disse...

Já tinha tentado comentar no teu blog, no outro dia e não consegui.A caixa de comentários não abria!
Tempo, o maior inimigo da beleza da mulher, o maior amigo da experiência!!
beijos

Afrodite disse...

Os rostos cravados no tempo
A essência das histórias
cicatrizes de uma vida
Sim... continuam belos
Cheios de amor
Somos nós...seremos nós...
O tempo... passa tão rápido...

deixo uma lágrima com *amor*

chapa disse...

Já era tempo de termos mais tempo.

Antonio Rebordao disse...

Ele passa bem sem nós, em Tóquio nem dou conta pelo correr do tempo. O dia passa num instante e não se sabe onde ficou... ou o que resultou do passar dele.

Cristina disse...

helder

passa, passa, demais...

beijinhos, também gosto de passar por cá:)

Ouvinte disse...

Gostavamos de ter mais tempo na vida, mais tempo para viver e aproveitar as coisas da vida.

Como gostava de não envelhecer!

Nota-se que falas de alguém, de uma pessoa que te é querida, pelo menos dá essa sensação pelas tuas palavras.

amigona disse...

Vim retribuir a visita e deparo-me com um texto tão bonito que me diz tanto!

Envelhecer... uma luta contra o tempo...
Também voltarei...

Márcia(clarinha) disse...

Tempo inexorável,tempo impiedoso,ardiloso e matreiro,pois sabe que não podemos dele nos livrar.
Lindo dia,
beijossssssssssss

digoeu disse...

O tempo passa, sempre passa, e vai ficando registado na memória, ao fluir, lento e silenciosamente, como um rio. A inevitável metáfora de Heróclito - o rio do tempo.
Ele aí vem - o Tempo - com pés de lã. Evitamo-lo. Enxotamo-lo. Persiste. Não pára de andar à nossa volta.
Vagueamos sem fito. Cedo percebemos o absurdo da situação. Olhamo-nos ao espelho. Ingrato! O Tempo passa e deixa marcas. Ficamos diferentes. Velhos. Pensamos. Temos medo.
Queremos tudo. Amigos. Afectos. O tempo passado. Ou... que o nosso tempo não nos desiluda mais. Queremos pensar nele e sorrir.
Afinal o que é o Tempo? Passa. Vai deixando sinais. O que é o Tempo? Nunca o saberemos.
Não somos deuses. O Tempo brinca connosco como um malabarista. Temos de nos render. Rendemo-nos sempre. Sorrimos. O Tempo passa. Baixemos a cabeça ao Grande Senhor da Vida.

lélé disse...

Não, não é o tempo que corre! Nós é que corremos por ele, como se ele nem existisse!

Miguel disse...

Depressa chegou a velhice e ...
Também a maturidade e a sabedoria de uma vida toda!

Bjks da Matilde

Som do Silêncio disse...

Gostei imenso do que li, e do teu blog.
Felicidades.

Lanna disse...

Muito bonito... e preocupante!

Hortência disse...

Caro Helder,
Obrigada pela visita...
Todos os autores têm falado de tempo, o tempo todo. Raramente sabemos encontrar a chave de se vivenciar bem o nosso tempo. Nem mesmo sabemos que tempo é o que vivemos e se modelamo-no de acordo com o que somos ou com o que sonhamos. O fato é que o tempo é relativo.
-o tempo
eu o temo
sem poder ter tino
para sua glória-
Abraços

Sea disse...

o tempo... ou nós?
Nós que envelhecemos no tempo... que nos envelhece...

joao firmino disse...

Olá Helder:

Obrigado pela tua visita. Também vim visitar-te e gostei da tua casa. Respira-se aqui a pesquisa de um tempo que parece suspenso... solto... leve... agora... criado por ti... para todos nós.

Visita sempre que quiseres e vem à conversa.

Um abraço,

João

papoilasaltitante disse...

Este post fez-me lembrar o meu falecido avô eximio contador de histórias e que ficará para sempre vivo na minha memória!!
Bjs :)))))

Paola disse...

O tempo é a pior arma contra o ser humano...........

Meu querido

boa semana

Paola

Janelas da Alma disse...

Olá Helder,

Obrigado pela tua visita!...Espero que passes por lá com mais tempo e possas ver mais através das nossas janelas!...
Entretanto, resolvi vir aqui visitar-te, e descobrir o teu canto, e gostei do que li!...Para já, colocarei um link da minha janela para a tua, de forma a visitar com mais frequência!
Um Abraço,

Nuno Osvaldo

Hanah disse...

.
.
.


Maravilhoso navegar por aqui....

abraço

Valéria Freitas disse...

Helder, retribuindo a gentileza da tua visita, busquei conhecer o teu canto. e assim, entendo mais sobre o tempo e também distância. deixo aqui, um dos meus rabiscos que cismaram entender o assunto. beijo, obrigada.

O Tempo

Para lá do jardim
Há o velho caminho batido.

E vai desde o que vejo
Até onde penso
E avança.

kikas disse...

Expectaculo, este texto esta lindo. Voltarei porque gostei

Desassossego disse...

Viver o tempo, fazer o tempo, sentir o tempo viver cada momento agradecendo o facto que na linha do tempo crescemos e aprendemos...

cidadão comum disse...

obrigado pela visita ao Abatá Afefê mas esse blogue já está RIP, agora encontro-me neste que fica como link.

J T Parreira disse...

Bom texto poetica e socialmente bem referencial sobre a velhice sábia.
Obrigado tb. pela visita.
Poeta Salutor

Ana disse...

Bonito texto!!

Arte em Movimento disse...

“aceitaste cada forma… cada traço… desenhado num corpo… que não reconheces… mas que transportas…”

Verdades que magoam. Real! Triste. Lindo o texto!

Trequita disse...

Acho que o comentário perfeitopara este post seria o seguinte:

...

:)bjs e obrigada pela visita

as velas ardem ate ao fim disse...

Comoveste me ! è lindo o teu texto.bjo

© Piedade Araújo Sol disse...

Verdadeiro, muito actual, muito triste, muito bem escrito.

Continua que vais no bom caminho...

Cila disse...

gosto da tua sensibilidade e do modo especial como o transmites.
E um prazer ler e ver
bj

Mily disse...

Uma descrição feita com maestria, uma certa tristeza, e muita suavidade... que apazigua sinais...

Ficam beijos aconchegados no tempo de agora... e por enquanto, ainda se pode falar em poesia!

alice disse...

bom dia, helder

desculpa só ter vindo agora

quero agradecer-te as tuas visitas

sinceramente e de coração

porque vieste numa fase feia

muito querido o teu gesto

não esquecerei

beijinhos,

alice

carla disse...

o tempo tristemente ,faz-nos mais sabios,mas deixa-nos visivelmente gastos.
Beijo

amita I disse...

O tempo se acomoda
e pelos braços da memória
se fixa e pára...
mas nesse sorriso maroto
passam voos
de tempo
que o sendo
não passa...

Um bjo e uma flor

Janelas da Alma disse...

Excelente trabalho, com uma delicadeza e uma sensibilidade comendáveis!

Um abraço,

Nuno Osvaldo

Anónimo disse...

Este texto deixa-me estonteante!!!

sl disse...

A nós que vemos o tempo a fugir sem ter o tempo que queremos resta-nos a sabedoria para ouvir e perpetuar as estórias, as memórias, os abraços e os olhares de quem nos deu vida.
PArabéns pelo blog
Susana

helena disse...

Boa tarde, Helder
É tardia a minha visita ao teu blog, visita que retribui a que me fizeste ao meu.
Helder, tens aqui um blog sublime!
Que bem escreves!
A tua sensibilidade a tratar um assunto tão delicado, por vezes triste (quase sempre), tão frequentemente solitário, emocionou-me muito, em especial por partir de alguém tão jovem.
Parabéns!
Terás em mim uma leitora assídua.
Um beijinho para ti

tonsdeazul disse...

Palavras que me trouxeram bons momentos passados com o meu avô.
Memórias que guardo com saudade, mas com um sorriso no rosto.

Luiz disse...

Adorei o blog e gostaria de entrar para a sua BLOGOSFERA.
Abraços.